Quando a gente para de comprar errado

Esses dias estava limpando o meu guarda roupa (coisa que adoro fazer) e comecei a pensar que esse ano quase não desfiz ou doei as minhas roupas. E isso para mim, é uma coisa muito boa, pois anteriormente eu vivia doando roupas que tinha comprado por impulso. Já deve ter acontecido muito com vocês, como aconteceu muito comigo, de comprar uma roupa, ou várias roupas, achando que você vai usar muito, e a roupa apodrece no guarda roupa ( até mesmo com etiqueta), por que você nunca usou, ou usa uma vez só e nunca mais.. . A gente passa anos e anos lendo revistas, blogs, pensando na compra, no evento, na combinação…  Pra se arrepender de um monte de aquisição por quase 6 décadas!

E não pense que essa isso acontece somente com quem compra por impulso não, embora é mais frequente pra essas pessoas. Tem gente que tem o guarda roupa lotado de roupa e só usa as mesmas peças, por que as demais não gosta ou não combina com o seu estilo. Por isso é importantíssimo conhecer o seu corpo, o seu biotipo e principalmente: o seu estilo.

Enfim claro que não existem fórmulas mágicas pra alguém ser considerado bem vestido, afinal, um bom look é o resultado de várias combinações que deram certo. E é lógico que informação ajuda também, as pessoas que gostam de moda, leem revistas sobre o assunto, etc; é de se esperar que essas pessoas acertem mais do que erram. Mas as vezes o caminho é árduo e você tem que cometer muita cafonisse antes de acertar. Eu falo isso por experiência própria. Não sou a pessoa mais chic e nem a mais elegante do universo, mas aprendi (errando) o que fica e o que não fica bom para mim. Exemplos? Tenho o seio grande, então qualquer roupa muito decotada fica vulgar; minha cintura não é de pilão, então sempre coloco um cinto para valorizar a silhueta, entre outros truques que aprendi. O mais legal e o que quero dizer com isso tudo é que conhecendo o seu corpo e principalmente os seus defeitos (que todo mundo tem) você aprende a comprar melhor as suas roupas, não vai nem experimentar aquela blusa linda que você sabe que não combina com você, emfim, você ganha tempo e dinheiro.

A seguir, alguns truques que acho que toda mulher estilosa sabe sobre si mesma (e que aprendi também). São dicas simples mais que funcionam:

1) Quem é o comprimento que mais te valoriza? Mini saia, longuete, longo, mullet… Experimente na frente do espelho e veja com qual deles você se sente mais gata! Vale bater foto e comparar depois, pois tem um monte de roupa que parei de usar depois que vi nas fotos.

2) Cor: qual o seu tom? Às vezes a gente acha uma cor linda num quadro, em outra pessoa, mas ela não é necessariamente a nossa melhor aposta. Separe umas blusas que você ama e faça o teste! Qual ressalta mais o seu tom de pele, o seu sorriso, o seu olhar?

3) Proporções: essa é a que mais faz diferença! Você fica melhor com uma parte debaixo mais justa e a de cima mais larga ou ao contrário? Cintura marcada ou cintura mais soltinha? A roupa desproporcional ao seu corpo é um perigo, não tem nada mais feio do que gordinha com roupa justa e magrela com roupa solta no corpo. Aliás, roupa justa não fica bem em ninguém, nem gordo nem em magro. A não ser que você seja piriguete, então se for o caso, pode desconsiderar tudo o que eu falei…rs

Anúncios

O estilo chic da Isabella Fiorentino

Meninas eu quase não faço post sobre celebridades nacionais, por que “quase” não há pessoas que eu admiro o estilo aqui no Brasil. Não que eu seja enjoada, mas se você pensar bem, não há. As únicas pessoas que me ocorrem seria a Grazi Massafera e a Mariana Ruy Barbosa, as demais dá preguiça.

Agora se tem uma pessoa que a epítome (essa palavra existe) do bom gosto e da elegância, e não sei por que nesses 4 anos de blog nunca falei dela, é a Isabella Fiorentino. Na verdade, nem há muito o que falar dela, ela nunca erra, sabe vestir tudo o que cai bem com o corpo e biotipo dela, e entende TUDO de moda. Eu adoro Esquadrão da Moda, praticamente é o único programa nacional que assisto(órfã de Avenida Brasil). Não gosto dele na versão americana, gosto na versão brasileira, com certeza por causa da Isabella.

O vestido de noiva dela, há uns cinco anos atras, foi maravilhoso, e olha que não gosto de vestido tomara-que-caia! Vou mostrar pra vocês os meus looks preferidos dela, e é muito legal a gente se inspirar em como ela se veste, pois como eu disse, se tem alguém que entende de moda é ela.

 

As rainhas do Street Style

Nesse tempo de culto á celebridade que estamos vivendo, hoje é muito fácil ficar famosa, basta você tirar a roupa em lugar público ou colocar um vídeo na internet e pronto, amanhã você está na mídia  Se vai permanecer ou não, isso é outro problema. O que quero dizer com tudo isso, é que hoje há as celebridades, e as subcelebridades. As celebridades não podem colocar o pé na rua que já estão sendo fotografadas. Tem pessoas, como Olivia Palermo por exemplo, que não é modelo, não é atriz, e vive cercada de paparazzi atras dela, só para fotografar o seu estilo. Jéssica Alba, quase não fez filme bom, mas sempre ta nas revista de moda e quase não pode sair na rua, sem ser fotografada.

Nessa lista de celebridades perseguidas pelo seu street style há somente duas brasileiras: Alessandra Ambrósio e Gisele. A Alessandra tem um estilo único e super charmoso, já a Gisele é basicona, no máximo um jeans e uma regata. Mas é lógico que ninguém páreo para a Olivia Palermo, que é famosa simplesmente pelo seu estilo, e que estilo né meninas?

Outra que desde antes de casar já era perseguida era a Kate Middleton. Depois que casou, quase não põe o pé na rua, e quando põe é cercada de segurança, então o seu reinado de street ficou para a sua irmã Pippa, que basta por o pé na rua para ser fotografada

Hoje vou mostrar pra vocês as minhas preferidas de Street Style, aquelas que eu olho e me inspiro, ou que simplesmente amo o estilo.

Kate Middleton: Ela é simplesmente a mais fotografada do mundo, seu estilo é bem clássico e a peça chave do seu guarda roupa são vestidos e saias.

Olivia Palermo: Ela não é modelo, não é atriz e nem cantora. Ficou famosa simplesmente pelo seu estilo único, pelo seu bom gosto ímpar e por lançar tendências. Tudo o que ela usa é copiado ou vira moda. Não tem uma peça chave, ela usa tudo: saia, calça, vestido, etc.

Kate Bosworth: Se fosse pelo filmes, Kate ia ser quase uma desconhecida, mas como tem um estilo apurado, quase não pode sair na rua sem ser fotografada, e sempre está nas revistas de moda como exemplo de estilo. A peça chave do seu guarda roupa é conforto, pelo menos é essa a impressão que ela passa com os seus looks. Um estilo básico e confortável.

Kate Holmes: É uma das atrizes mais fotografadas do mundo, eu acredito que não tanto pelo seu estilo, mas pelo fato de ser a mãe da Suri e ex mulher do Tom Cruise. O estilo de Kate é bem desleixado, na verdade tive que penar para achar os melhores looks dela. Ela sempre está nas revistas de moda, mas não como inspiração e sim como ” ache os 7 erros”. Engraçado que enquanto casada com o Tom Cruise, ou melhor, no começo do casamento, Kate era uma das mulheres mais bem vestidas, depois com o tempo foi relaxando no visual.

Pippa Middleton: Herdeira do estilo da irmã Kate, Pippa era quase uma desconhecida até o casamento real, e virou febre nacional ( na Inglaterra) após o casamento. Seu estilo é quase igual ao da irmã Kate, bem clássico, e o guarda roupa é recheado de saias e vestidos, que ela sempre combina com um blazer ou um cardigan.

Miranda Kerr: Quando se fala de estilo, ou melhor de street style, Miranda Kerr é a minha favorita. Eu acho ela simplesmente chic e elegante DEMAIS. Sempre de salto, sempre impecável, parece que ela anda na rua posando para as revistas e sabendo que está sendo fotografada. Seu estilo é anteporal  e se não fosse modelo, poderia passar por uma advogada ou executiva sem problemas nenhum.

Jéssica Alba: ela deveria cobrar por fotografia e ia ficar rica (mais do que já é), por que não tem um dia que você não vê fotografias dela passeando em Los Angeles. E em todos os looks ela está sempre impecável. Ela tem ciência que vai ser fotografada então sempre se produz para isso. A peça chave do seu guarda roupa é jaquetas e lenços. Além do street style, Jéssica Alba é sempre uma das mais bem vestidas do Red Carpet também.

Sienna Miller: Há muitos anos que gosto do estilo da Sienna Miller, a impressão que passa é um desleixo chique, tipo saí da cama assim, e ao mesmo tempo elegante. É o tipo de pessoa que não faz esforço para ser chique, e que tudo o que ela usa fica bem. A peça chave do seus looks acho que é o conforto.

Alessandra Ambrósio: e finalmente chegamos ao estilo da brasileira mais famosa do mundo, depois da Gisele. O estilo da Gisele quase não há o que comentar, é totalmente básico. Já o da Alessandra, é um dos mais copiados e inspiradores. Todos os dias ela está nos sites de moda, toda as revistas falam alguma coisa do seu estilo. E o engraçado é que é um estilo básico também, mas é um básico charmoso, e como dizem: cheio de bossa. Eu gosto muito do seu estilo, embora não usaria quase nada do que ela usa, que é muito shorts e muita perna de fora. Tem que ser extremamente magra e estar com tudo em dia para copiar o estilo dela, senão é melhor nem tentar..rs.

É isso aí meninas, espero que vocês tenham gostado de todos os estilos e que se inspirem também. Além dessas pessoas que postei, também gosto muito do Street Style da Rachel Bilson e da Rosie Huntington-Whiteley. Mas isso fica para um outro post. Bjos

Lookbook Bob Store

Faz tempo que eu não posto nada sobre a Bob Store não é? Então, eu estava dando uma olhada essa semana no lookbook de verão deles e fiquei encantada. Não que a coleção seja espetacular, ao contrário, é tudo tão simples, tão usável, que dá vontade de ter tudo, principalmente as peças de cor coral, que amo!!

O produto milagreiro

Meninas primeiro tenho que me desculpar pelo erro de português no titulo acima, um absurdo uma advogada falando milagreiro não é? Mas é o que sinto cada vez que uso esse gel da La Roche Effaclar. Ele simplesmente deixa a minha pele maravilhosa!! Já faz uns dois anos que uso ( quando a gente tá chegando nos 30 que começa a se preocupar com a pele), e até já falei dele aqui no blog.

Ele é indicado para todas as idades e tipo de pele, e você pode usar sempre que lavar o rosto. Eu uso na hora do banho e para tirar a maquiagem. Quem me conhece sabe que a minha pele é ótima ( sem falsa modéstia), e depois que uso o gel da la roche, ela fica parecendo veludo, uma delicia!! Fica aí uma super dica pra vocês que estão procurando algum produto para limpar a pele das impurezas do dia-dia e para ficar com a pele linda!!

Dica de livro: As regras do trabalho

 Como falei no post anterior sobre sobre o uso do celular no ambiente de trabalho, acabei me lembrando de um dos melhores livro que li sobre etiqueta profissional. Trata-se do livro: As Regras do Trabalho – Richard Templar. O livro já é antigo, mas posso garantir que os temas tratados são bem atuais. Sem falar que é um dos livros mais vendidos do mundo. Eu já li umas duas vezes, por que vale a pena. É um livro de auto-ajuda, bem didático, e você conseguirá ler numa sentada ( melhor ler deitada rs).

Confira alguns temas do livro As Regras do Trabalho:

– Seja coerente com o que você fala
– Tenha consciência de que você está sendo avaliado o tempo todo
– Tenha um plano de ação
– Se não tiver nada de bom para dizer, não diga nada
– Cuide-se
– Enturme-se
– Esteja sempre um passo à frente
– Torne-se um diplomata
– Conheça o sistema e tire proveito dele
– Saiba como lidar com a concorrência

Gente, mesmo que seja por curiosidade, vale a pena demais ler esse livro, principalmente para quem está ou quer ingressar no mercado de trabalho. Espero que gostem da dica.

O bendito toque de celular

Na empresa onde eu trabalho tem uma recepcionista cujo celular toca várias vezes por dia, e o toque é uma música evangélica dessas que o cantor quer imitar a Whitney Houston. Ás vezes o bendito toca e ela não está na recepção, daí você tem que ouvir a música inteira e trabalhar ao mesmo tempo. Todas as vezes que toca, eu penso o quanto me irrita, e que deve irritar também as outras pessoas e até mesmo clientes.

Tenho certeza que você também já presenciou cenas patéticas, absurdas e até cômicas, envolvendo pessoas falando ao celular no local de trabalho e em horário de expediente. Tem pessoas cujo celular toca “quase” o dia inteiro. Não tem como você não participar da vida particular e amorosa da pessoa. Quando a pessoa tem filhos pequenos ou tem algum parente no hospital, até dá pra entender, mas do contrário irrita bastante. E se irrita a gente, imagina o nosso chefe, que está pagando pra você trabalhar. Eu deixo meu celular sempre no silencioso ou para vibrar, justamente para não incomodar ninguém e nem para as pessoas ficarem cuidando quantas vezes ele toca.

Para melhor orientar quem precisa, seguem algumas dicas práticas que retirei de um manual de etiquetas:

Não deixe seu celular jogado em qualquer canto. Ele pode tocar quando você menos esperar e você pode não estar por perto.

Evite, no trabalho, toques extravagantes e em volume alto. Algumas pessoas escolhem para os seus celulares os toques mais irritantes de todos os tempos, talvez por acharem que seu gosto pessoal é uma espécie de referência musical para o resto do mundo, e você, que nada não tem nada a ver com o pato, se torna mais uma involuntária vítima desse pentelho. Atitudes como essas são verdadeiros atentados terroristas contra sua imagem profissional. Toques mais neutros e em volume médio/baixo garantem que você vai aparecer sim, mas pelas suas qualidades… Não pelo mau gosto ou pela inconveniência.

Cuidado com a duração das chamadas. Isso vale tanto para as chamadas pessoais, quanto as profissionais. Profissionais prolixos ao celular são mal vistos no trabalho. Objetividade é a chave.

Falar alto ao celular é simplesmente péssimo! Algumas pessoas têm a incapacidade de conversar sem gritar ao telefone. Por mais que você tente, a verdade é que você não consegue mais deixar de “não ouvir” a voz da pessoa. A conversa entrará na sua cabeça, sem sua permissão, tomará conta dos seus pensamentos, irá desviar sua atenção das suas atividades, e a menos que saia para tomar um cafezinho, ou dar uma volta para ver se está chovendo lá fora, sentirá um forte desejo de fazê-lo engolir o aparelho.Se a pessoa do outro lado da linha não estiver escutando você, ligue outra hora.

Se estiver participando de uma reunião, ponha seu celular no modo ‘silencioso’ ou ‘vibrar’. Evite atendê-lo durante a reunião fazendo contorcionismos com o corpo. Se estiver esperando alguma ligação urgente, avise quem está presidindo que vai precisar atender. Se for urgente e importante, peça licença e saia da sala para falar.

Evite os exageros no falar, gesticular e andar durante as chamadas. Como há pessoas espalhafatosas usando seus celulares! Gritos, risadas, broncas, gestos largos e verdadeiras caminhadas devem ser controladas – afinal de contas, você estará em seu ambiente de trabalho e não no quintal de casa…

Cumpra o compromisso de retornar as ligações. Isso demonstra que você dá importância à pessoa que está do outro lado e que acreditou na sua promessa. Deixar de ligar de volta poderá ser [mal] interpretado de várias formas: deselegância, desorganização, desinteresse, dentre outros ‘des’.

Por último, se estiver falando pessoalmente com seu chefe, um colega ou cliente e seu celular tocar, veja discretamente se dá para ligar depois. Se sim, não atenda. Se for inadiável, peça licença e avise que precisa atender. Não há nada mais desagradável do que alguém cortar a conversa, pegando o celular para dizer alô, deixando a outra pessoa com cara de paisagem…

Em maior ou menor grau, todos nós já cometemos algum deslize ao usar o celular. Que tal, então, começarmos a semana sendo profissionais melhores no uso dessa quase-extensão-do-corpo-humano?